INFLUÊNCIA DA FISIOTERAPIA NO ACOMPANHAMENTO DE CRIANÇAS PORTADORAS DO TEA (TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA)

Cintia Regina Fernandes, Winye Ághata Andressa Alcântara De Souza, Ana Paula Rodrigues Camargo

Resumo


 

RESUMO

 

INTRODUÇÃO: Autismo ou Transtorno do Espectro Autista (TEA), é um distúrbio crônico do neurodesenvolvimento, onde é definido por carência ou abstração de reações aos estímulos e contatos sociais. As características clínicas do TEA possuem manifestações precoces podendo se tornar perceptíveis antes dos 2 anos de idade, dificuldade de comunicação, humor transitório, movimentos repetitivos e padrões de inteligência instáveis. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a eficácia da fisioterapia no pré e pós tratamento de crianças portadoras de (TEA). MÉTODO: Trata-se de um estudo quantitativo descritivo transversal, realizado em um grupo de crianças portadoras de TEA, em uma associação para crianças autistas. A amostra constituiu-se de 6 crianças portadoras do TEA, com idade de 4 a 9 anos, de ambos os sexos acompanhadas pela fisioterapia. Para a realização do estudo utilizou-se, para a classificação do autismo, a escala CARS (Childrood Autism Rating Scale), escala de Avaliação de Qualidade de Vida – AUQEI, a Escala de Equilíbrio Pediátrica (EEP) e escala de mobilidade e equilíbrio de Tinetti. Os dados foram coletados no período de 24 de julho a 25 de outubro de 2019. RESULTADOS: Podemos observar uma prevalência do TEA em seu grau mais grave dentro da amostra, na escala AUQEI antes e após intervenção fisioterapêutica, não houve mudanças nos escores atingidos, verificou-se uma melhora no equilíbrio dos pacientes 1, 2, 3 e 4, dando destaque aos pacientes 2 e 4, a avaliação da marcha pode-se observar uma melhora nos pacientes 1, 2, 4 e 6 e em um comparativo do progresso podemos observar a melhora pós tratamento fisioterapêutico em 3 das 6 crianças avaliadas. CONCLUSÃO: Pode-se verificar ao final desse estudo que a fisioterapia possui influência positiva no acompanhamento e tratamento da criança portadora de TEA. As técnicas fisioterapêuticas trazem benefícios inegáveis e visíveis em diversos âmbitos da vida dessas crianças.

Palavras-Chave: Autismo; Transtorno do Espectro autista; Fisioterapia; Psicomotricidade; Qualidade de vida.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.