A REPRESENTAÇÃO DO LATIM NO DISCURSO JURÍDICO BRASILEIRO

JANECLEIS GONÇALVES ASSIS, ADERLAN MESSIAS DE OLIVEIRA

Resumo


As expressões em latim utilizadas no cotidiano jurídico trazem entendimento amplo, que vão além da sua tradução; são princípios e institutos aclamados nos textos ou mesmo oralmente pelos usuários do direto, que buscam demonstrar conhecimento e erudição. Essas expressões e brocardos quase sempre incompreensíveis para aqueles leigos na ciência do direito, são heranças do Direito Romano que é base do nosso sistema jurídico. Conhecer a origem dos institutos normativos presentes em nosso ordenamento se faz necessário, para garantir que sejam usados de maneira adequada. O uso indevido ou demasiado dessas expressões podem fazer com que o cidadão comum não compreenda o que a lei o ordena ou ainda, não vislumbre o direito que tenha a exigir. O discurso forense é a principal ferramenta de trabalho do advogado no exercício de sua profissão. E como marca caracterizadora na construção deste discurso, está o latim, língua romana que contribuiu para o surgimento do português, assim como os institutos jurídicos brasileiros foram concebidos à luz do direito clássico romano. Por nossa língua pátria ter origem no latim, o presente estudo objetiva apontar a necessidade que tem os acadêmicos e profissionais de Direito em compreender que o latim constitui base fundamental no discurso das ciências jurídicas, e que o direito romano é a base do ordenamento jurídico brasileiro. Assim, o uso de expressões latinas nos textos jurídicos terá melhor sentido.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.