UMA LEITURA ANÁLITICA SOBRE A LUTA PELA TERRA E A IMPORTÂNCIA DA AGROECOLOGIA

ANDRESSA SOARES BALSANI, FABIANO RICARDO VICENTE, WELLINGTON DA ROCHA ALMEIDA, FABIANA REGINA DA SILVA GROSSI

Resumo


O processo histórico da luta pela terra no Brasil perpassou pelo período da própria história nacional da colonização e sua realidade se perdura até a contemporaneidade. A origem das lutas pela terra tiveram início no período colonial primeiramente na luta contra o cativeiro e a exploração, passando ao cativeiro da terra e a consequente expulsão do indivíduo seja indígena, escravo e liberto posteriormente (FERNANDES, 1999). O contexto atual da realidade rural do Brasil tem apresentado duas perspectivas de práxis de plantão, uma conhecida como agronegócio, que surge a partir da expansão do capitalismo industrial e posteriormente demarca de forma dominante as práticas de produção agrícola. A outra é conhecida como Agroecologia, que prioriza a produção de alimentos sem o uso de agrotóxico, estimulando práticas de proteção ao meio ambiente e a saúde individual, coletiva e do Meio Ambiental (BARCELLOS 2014). A agroecologia é definida, como uma ciência de saber integrativo metodológico próprio, com ramificações teóricas diversas, que oferece ao campo da agroecologia um novo caminho de desenvolvimento rural de sustentabilidade. A Agroecologia é sinônimo literal de Saúde, dado essa apresentar uma visão de produção de alimento, sem prejudicar o meio ambiente, sem agrotóxico e potencializando a preservação da cultura e da propriedade camponesa (BORSATTO, 2011; GONÇALVES, 2008). O MST é o resultado de várias lutas pela terra baseado em outros movimentos do campesinato brasileiro que ocorreram ao longo do nosso processo histórico. Considera-se que o surgimento do MST fez parte de um processo que ocorreu entre os anos de 1979 a 1985. Em razão de que no primeiro momento ocorreram as primeiras ocupações organizadas, logo foi definida sua estrutura organizativa, surgindo as lideranças que fundaram o MST em 22 de janeiro de 1984 no município de Cascavel (PR), no qual foi realizado seu 1º Encontro Nacional e que contou com representantes de 23 das 27 unidades federativas do país. Posteriormente, no ano de 1985 foi organizado o primeiro congresso do MST no qual, os camponeses definiram políticas de ação (FERNANDES, 2008). Este trabalho é de fundamental importância para as questões referentes a terra, a Agroecologia e, principalmente, a população do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra - MST, pelo que tange ao processo histórico de luta pela terra. Se dará por meio da seguinte problemática: Como se dá o processo histórico de luta pela terra no Brasil e qual é a importância do saber da Agroecologia em junção com o MST como forma de resistência ao Agronegócio? Assim, a pesquisa tem como objetivo, descrever o processo histórico de luta pela terra, apresentando a importância do MST, de suas práticas de resistência ao agronegócio com a valorização da agroecologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.