PSICOLOGIA DO TRÂNSITO: CONSCIENTIZAÇÃO NO TRÂNSITO EM DUAS ESCOLAS E UMA ANÁLISE DOS CONHECIMENTOS DOS ESTUDANTES SOBRE A TEMÁTICA

GIOVANA FERNANDES LEITE, BEATRIZ RABELO ALVES, CRISTIAN RODRIGO DA SILVEIRA MORALES

Resumo


A psicologia como ciência é nova, embora os estudos das relações e comportamentos humanos sejam antigos, desde a época de Sócrates já se questionavam sobre a “psique” e os porquês de como as pessoas se comportavam de determinada maneira (SCHULTZ & SCHULTZ, 2010). A Psicologia então pode ser definida como uma ciência que estuda a mente e o comportamento humano, buscando compreender de certa forma os princípios gerais que expliquem a complexidade dos seres humanos (MELO, 2006). Dessa forma, onde existir relações humanas, a psicologia ali estará presente e será útil. A psicologia é presente nas mais diversas áreas, como por exemplo, clínica, social, organizacional, hospitalar e no trânsito (WEEKS, 2014). Uma dessas áreas, a ser destacada no presente estudo, é a psicologia do trânsito. A Psicologia do Trânsito surgiu como consequência de abundantes pesquisas em centros, institutos, laboratórios de pesquisa nas últimas duas décadas. Podemos defini-la como o estudo do comportamento dos participantes do trânsito, entendendo por trânsito o conjunto de deslocamentos dentro de um sistema regulamentado (ROZESTRATEN, 1981). O Estudo da psicologia do trânsito se faz necessário quando se percebe e visualiza o número de acidentes que ocorrem; não só por medidas preventivas, mas sim uma educação sobre o trânsito pode fazer toda a diferença para o pedestre até o condutor mais experiente. De acordo com a OMS, (Organização Mundial de Saúde) baseados em dados do ano de 2010, o Brasil estava em 4º lugar no ranking de número de mortes no trânsito no mundo, posicionando-se atrás apenas de China, Índia e Nigéria (OMS, 2013). Tratando-se de números, somente no ano de 2012 mais de 44 000 mil pessoas perderam a vida no trânsito (OMS, 2013). Considerando a relevância do tema, trabalhar com escolas e com alunos/as e mais precisamente aqui trazidos pré-adolescentes, se faz necessário a fim de problematizar, conscientizar e preparar esses futuros condutores já participantes do trânsito, bem como verificar se ambos já sabem as noções básicas e essenciais para participar do trânsito. O próprio DETRAN (Departamento Estadual do Trânsito) realiza trabalhos com esse público, pois visa que quanto antes estes possam aprender, melhores serão suas ações no trânsito. Em uma dessas visitas a uma escola, uma aluna relatou: “Essa visita vai me ajudar bastante. A partir de hoje, terei mais cuidado na hora de atravessar a estrada, porque passei a ter informações. Quero ser uma pessoa mais consciente” (DETRAN, 2017).

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.