PSICOLOGIA DO ESPORTE: PUBLICAÇÕES NOS ULTIMOS DEZ ANOS

ELOISA MACHADO SOARES, GISLANE CARVALHO DOS SANTOS, LUIZ CARLOS RODRIGUES DE MATOS SOUZA SOBRINHO, LUIZ EDUARDO DE CASTRO NASCIMENTO, SHIMONY COELHO

Resumo


A Associação Americana de Psicologia- APA (1999) define a psicologia do esporte como “o estudo dos fatores comportamentais que influenciam e são influenciados pela participação e desempenho no esporte, exercício e atividade física e pela aplicação do conhecimento adquirido através deste estudo para a situação cotidiana” (APA, 1999). Segundo Samulski (2000) em 1996, a APA e a FEPSAC (European Federation of Sport Psychology) reconheceram e descreveram as relevâncias da PE em seus estatutos. De acordo com Rubio (2001), o exercício da Psicologia do Esporte no Brasil iniciou-se no futebol, em 1950, a partir, da atuação do psicólogo João Carvalhaes com os juízes de futebol da Federação Paulista de Futebol (FPF). Posteriormente, Carvalhaes trabalhou no São Paulo Futebol Clube, e na Seleção brasileira de futebol campeã do mundo em 1958. Segundo Silva (2007), após alguns anos, houve um pequeno avanço nessa área, tanto no que diz respeito a atuação, quanto a produção de conhecimento. Posteriormente, em 1979, foram fundadas associações como a SOBRAPE (Sociedade Brasileira de Psicologia do Esporte) filiada à ISSP (Internacional Society of Sport Psychology) e a SPAESP (Sociedade de Psicologia Aplicada ao Esporte, Atividades Físicas e Recreação de São Paulo), com o objetivo de divulgar e criar novos conhecimentos da prática dos psicólogos no esporte (CEPPE, 2017). No final dos anos de 1990, os cursos de especialização na área se tornaram notórios e, no ano de 2006, foi criada no Brasil a Associação Brasileira de Psicologia do Esporte (ABRAPESP), uma iniciativa de um grupo de psicólogos e profissionais de educação física preocupados em discutir e promover os estudos e práticas profissionais da Psicologia Esportiva no país. (OLIVEIRA; VIEIRA; VIEIRA; VISSOCI, 2010). Dentro desta perspectiva, a ABRAPESP realiza a cada dois anos o Congresso Brasileiro de Psicologia do Esporte, priorizando a publicação de artigos científicos por profissionais e estudantes de psicologia e educação física (ABRASPEP, 2018). Paralelo a criação da ABRAPESP o Conselho Federal de Psicologia no ano de 2007, por meio da Resolução 013/2007, instituiu o título profissional de Especialidade em Psicologia do Esporte (Conselho Regional Psicologia de São Paulo, 2018), um marco para os profissionais que se engajavam na área e uma possibilidade a mais de atuação para os/as psicólogos/as. No entanto, Rubio (2002) ressalta que “apesar da psicologia do esporte ter seu início vinculado a trabalhos realizados há mais de um século, ainda é vista como uma novidade no contexto brasileiro”, a destacar a formação profissional de Psicologia, pois, a disciplina Psicologia do Esporte não está presente na grade curricular da maioria dos 17º Congresso de Iniciação Científica da FASB, 2019, Barreiras – Ba ISSN 2594-7951 2 cursos de Psicologia do Brasil, quando aparece, tem caráter eletivo, embora a disciplina esteja presente há quase duas décadas nos currículos dos cursos de Educação Física como disciplina obrigatória (Rubio, 2002). Por conseguinte, o objetivo deste artigo é identificar quantos artigos, teses e dissertações da área da psicologia do esporte vem sendo produzido por profissionais e estudantes de psicologia e educação física nos últimos 10 anos, uma vez que esta área de atuação utiliza da ciência da psicologia, considerando que a disciplina de psicologia do esporte não é obrigatória no cursos de graduação em psicologia no Brasil.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.