DIALÉTICA INCLUSÃO/EXCLUSÃO: VIVÊNCIAS DE UMA COMUNIDADE DO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA OESTE/BAHIA

HELOISA JANSEN ALVES NASCIMENTO DOS SANTOS, JEOVANA DE SOUZA ARAÚJO, WELLINGTON DA ROCHA ALMEIDA, FABIANA REGINA DA SILVA GROSSI

Resumo


A Psicologia Social chega na América Latina baseada em uma realidade europeia e Norte Americana, essa tinha como objetivo normatizar e padronizar comportamentos, harmonizando as relações grupais. Esse processo ocorreu na década de 50. Contudo, esse paradigma em psicologia social foi questionado na América Latina por ser uma realidade totalmente diferente e que reforçava um sujeito acrítico, no qual não era a gente de mudança e sujeito da história, que transformava (LANE, 2006). Continua-se acreditando que a psicologia social possui como objetivo “conhecer o indivíduo no conjunto de suas relações sociais, tanto naquilo que é específico, como naquilo que ele é manifestação grupal e social” (LANE, 2006, pg. 19). No entanto, Bock (1999) e Lane (2006) defendem uma psicologia que esteja em movimento e transformação, assim como os sujeitos. Os primeiros conceitos relacionados ao sofrimento ético-político ocorreram no ano de 1994 por meio de Lane e Sawaia na obra titulada como “Novas Veredas da Psicologia Social”, nesta Sawaia trabalhou questões referentes ao sofrimento ou mal-estar psicossocial e sobre a reflexão que o/a pesquisador/a deve fazer para que esse/a venha compreender as categorias da Psicologia Social e que não naturalize os conceitos construídos pela história da sociedade (BERTINI, 2014). Considera-se que o surgimento do MST fez parte de um processo que ocorreu entre os anos de 1979 a 1985. Em razão de que no primeiro momento ocorreram as primeiras ocupações organizadas, logo foi definida sua estrutura organizativa, surgindo as lideranças que fundaram o MST em 22 de janeiro de 1984 no município de Cascavel (PR), no qual foi realizado seu 1º Encontro Nacional e que contou com representantes de 23 das 27 unidades federativas do país. Posteriormente, no ano de 1985 foi organizado o primeiro congresso do MST no qual, os camponeses definiram políticas de ação (FERNANDES, 2008). O presente trabalho refere-se a uma pesquisa de campo no acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), localizado no município de Barreiras, Bahia, que tem como objetivo principal compreender as vivências dos moradores dessa comunidade. O estudo se ancora na Psicologia Sócio histórica a partir da Psicologia Social e especificamente na teoria do sofrimento Ético-político, como categoria da dialética exclusão/inclusão de Sawaia (2011)

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.