ANÁLISE METODOLÓGICA DOS ESTUDOS NACIONAIS SOBRE O INVESTIMENTO PARENTAL PUBLICADOS ENTRE OS ANOS DE 1998 A 2018

CINTIA ALVES TOLENTINO, DADJA AMORIELE DOS SANTOS SOUZA, STÉFANE LAÍSA DE SANTANA OLIVEIRA, STÊFANY MEDEIROS MENDES, IGOR EDUARDO MADEIRA

Resumo


O Investimento parental (IP) caracteriza-se como o cuidado que os genitores têm em relação à sua prole. Porém, a forma como os pais investem dependem de fatores biológicos (e.g. apego) de condicionamento, culturais e sociais (TOKUMARU, 2018). O investimento parental produz efeitos significativos (déficit, reserva comportamental e excesso comportamental) no desenvolvimento e nas habilidades sociais dos filhos. O estudo de Lordelo et al. (2016) apontou que um alto IP tem repercussões positivas no desenvolvimento e na saúde das crianças e proporciona a melhoria nas relações de apego com os pais. Nesse sentido, o cuidado em que o sujeito é exposto durante os primeiros anos de vida pode resultar ou não em um apego seguro, no desenvolvimento comportamental de habilidades cognitivas e socioemocionais. As características e os tipos de cuidado parental dependem dos contextos sociais, culturais e econômicos aos quais os indivíduos pertencem. Para Trivers (1972, citado por TOKUMARU, 2018, p.389), investimento parental é “qualquer investimento dos pais em um descendente que aumenta as chances de sobrevivência deste (e, portanto, seu sucesso reprodutivo) ao custo de habilidade parental de investir em outro descendente”. Apesar do Investimento Parental ser de responsabilidade dos genitores. Bandeira (2012) demonstrou que as mulheres continuam sendo as principais cuidadoras, entretanto, o comprometimento dos homens vem crescendo aos poucos por influência e pressão social, proporcionando, um interesse maior no cuidado com os filhos. De acordo com Bandeira (2012), a forma como ocorre o Investimento Parental estaria ligada ao modelo recebido pelos pais, assim, há um padrão repetitivo na educação dos filhos. Dentre os modelos de IP, destacam-se os que estão voltadas para a interdependência que compreende a prole como membro de um sistema social com deveres e obrigações com a sociedade e aquelas voltadas para independência, ou seja, valoriza o individualismo, a autonomia e a autossuficiência (KELLER e CHASIOTIS, 2007 citado por BANDEIRA, 2012). Nesse sentido, a qualidade da relação (IP) que os pais têm com seus filhos é importante para a promoção do desenvolvimento humano (GOETZ; VIEIRA, 2009). O estudo do Investimento parental é um fenômeno importante de ser investigado, pois proporciona a compreensão dos tipos, efeitos, e o sucesso reprodutivo com as chances de sobrevivência, ligados diretamente ao desenvolvimento de Habilidades Sociais. Assim, um 17º Congresso de Iniciação Científica da FASB, 2019, Barreiras – Ba ISSN 2594-7951 2 estudo de levantamento metodológico/sistemático proporcionará a investigação sobre quais as variáveis que estão sendo levantadas no cuidado parental, e contribuindo para uma investigação do que está sendo publicado pelos pesquisadores nacionais. Nesse sentido, o presente estudo tem como objetivo analisar os estudos brasileiros sobre investimento parental publicados entre os anos de 1998 a 2018.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.