PREVALÊNCIA DE ENTEROPARASITOSES INTESTINAIS EM CRIANÇAS ASSISTIDAS POR UMA ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL (ONG) DO MUNICIPIO DE BARREIRAS-BA:RESULTADOS PARCIAIS

JHEINY STFFHANY PIMENTEL CARVALHO GLIER, DANIELA CARVALHO SOUZA, ISA BRUNA MACEDO VITOR, PATRÍCIA DE SOUZA DA SILVA, RODOLFO EMANUEL RODRIGUES DA SILVA, LEANDRO DOBRACHINSKI

Resumo


As parasitoses intestinais representam um alto índice de prevalência no Brasil, acometendo cerca de 55% das crianças, sendo considerado um dos mais sérios problemas de saúde pública no país. O parasitismo intestinal tem maior prevalência em comunidades mais vulneráveis e áreas em desenvolvimento, relacionadas a má qualidade de saneamento básico, água e de higiene pessoal e domiciliar (MARQUES, 2005). Conforme Uchôa et al. (2009), a infecção parasitaria é geralmente negligenciada, e os indivíduos podem permanecer parasitados de forma silenciosa, causando sérios problemas. Essa ocorrência na fase infantil, especialmente na idade escolar, é um fator agravante da subnutrição, com interferências no crescimento, acompanhada de diarreia crônica, falta de apetite e emagrecimento. A transmissão das enteroparasitoses ocorre geralmente por via oral, vinculada a áreas cujas condições sanitárias são precárias e à falta de tratamento adequado de água e esgoto, o que facilita a disseminação de ovos e cistos. Essa transmissão é facilitada pelo aumento do contato interpessoal propiciado pelos ambientes coletivos, como em creches. Nesse contexto, o presente estudo objetivou determinar a prevalência de enteroparasitoses em crianças assistidas por uma Organização não Governamental (ONG) do município de Barreiras estado da Bahia. Constituindo uma ferramenta de suma importância para o fornecimento de informações epidemiológicas que poderão servir como guia para condução, tratamento e principalmente fornecimento de dados que possibilitem corrigir deficiências ou desenvolver programas de profilaxia na comunidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.