INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA ATRAVÉS DA TÉCNICA DE CONTENSÃO INDUZIDA NA PARALISIA CEREBRAL

ALANA SUZY DE MATOS SILVA, DAIANE ALVES DA SILVA, ANA PAULA CAMARGO RODRIGUES

Resumo


A paralisia cerebral (PC), ou Encefalopatia Crônica Não Progressiva da Infância (ECNPI), é um transtorno do neurodesenvolvimento caracterizada pela má formação cerebral decorrente de lesões no período pré, peri ou pós-natal, gerando déficits motores, posturais e de movimento, além de alterações sensitivas, cognitivas e comportamentais (ARAKAKI et al., 2012). Por se tratar de uma eventualidade de caráter heterogêneo e de complexa etiologia, algumas vezes até múltiplas, o quadro clínico e o comprometimento motor podem ser variados (RIBEIRO et al., 2016). As crianças acometidas apresentam alterações no tônus muscular, os quais podem ser classificados em espástica, atetóide e atáxica. A PC do tipo espástica é decorrente do aumento do tônus em diferentes grupos musculares, a atetóide possui movimentos involuntários e lentos descoordenados e atáxica que é caracterizada pelo déficit na coordenação dos movimentos (ALMEIDA et al., 2015). Em relação a topografia da lesão, pode ser classificada em hemiparética, diparética e quadriparética (BRIAZENE et al., 2009). Nos portadores de PC com hemiparesia espástica, o maior comprometimento é visualizado no hemicorpo contralateral à lesão encefálica, apresentando maiores dificuldades na funcionalidade do membro superior (MS) afetado, devido ao déficit motor, sensorial e fraqueza muscular (PAULA et al., 2014). Dentre as alterações no portador de PC, o déficit motor é o mais evidente, sendo necessário intervenção fisioterapêutica, afim de estimular e aumentar a funcionalidade dos portadores em todas as suas áreas de ocupação. Uma das terapias fisioterápicas que vem sendo estudadas e tendo destaque é a terapia por contensão induzida, a qual é evidente uma melhora funcional significante nas atividades de vida diária, e no autocuidado, após a sua aplicação (FONSECA; GUARANY, 2018). A Constraint Induced Movement Therapy (CIMT) ou Terapia por Contensão Induzida (TCI), consiste em uma técnica que busca diminuir a assimetria dos membros superiores em relação ao seu uso. A técnica utiliza três protocolos básicos: treinamento intensivo orientado a tarefa, métodos de transferência e restrição do membro que possui menor déficit. A TCI, correlaciona esses protocolos de maneira integrada afim de estimular o paciente a realizar as funções com o membro mais afetado por um longo período de tempo ao dia (GARCIA, 2012). Diante o exposto, o presente estudo tem como objetivo avaliar a efetividade da Técnica de Contensão Induzida no membro superior de pacientes com Paralisia Cerebral Hemiparética

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.