A IMPORTÂNCIA DO ATENDIMENTO FISIOTRÁPICO HUMANIZADO NO PACIENTE ONCOLÓGICO: UMA REVISÃO LITERÁRIA

LORRANE DA SILVA BATISTA, MICHELLE PORTO GUARNIERI

Resumo


O oncologista britânico Willis define neoplasia como uma massa anormal de tecido, cujo crescimento é excessivo e não coordenado com aquele dos tecidos normais, e persiste da mesma maneira excessiva após a interrupção do estímulo que originou as alterações. (WILLIS, 1952). As neoplasias podem ser divididas em tumores benignos ou malignos, sendo esse último referido como câncer. (ROBBINS e COTRAN, 2016). No Brasil, após a criação do Sistema Único de Saúde (SUS) pela Constituição de 1988, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) passou a ser o órgão responsável pela formulação da política nacional de prevenção e controle do câncer, vinculado a Secretaria de Atenção à Saúde (SAS). Com base em estatísticas, é estimado para o biênio 2018-2019, a ocorrência de 600 mil casos novos de câncer, para cada ano. (INCA, 2017). Com fundamento nessas estatísticas é possível avaliar a necessidade de prevenção e promoção de saúde, que estão entre as principais atribuições do fisioterapeuta, este que deve estar presentes em todas as fases do câncer, desde o diagnóstico ao tratamento e aos cuidados paliativos. (FARIA, 2011). É nesse contexto que a fisioterapia atua de várias formas, como por exemplo com o uso da cinesioterapia, é ponderoso salientar que só deve ser realizado depois do pós operatório com retirada total das células cancerígenas, através de manobras como drenagem linfática manual, exercícios que promovem o aumento da amplitude de movimento em uma articulação, estimulando receptores sensoriais e reduzindo a tensão muscular, diminuindo a ansiedade do paciente através de terapias manuais, além de utilizar ferramentas como eletroterapia para alívio de dor. Com base nessas premissas, o presente estudo tem como objetivo deixar claro a importância do atendimento fisioterápico humanitário no paciente oncológico, por meio de um processo reflexivo que visa a valorização do paciente visto como ser humano, enfatizando o ato de humanizar como expressão de ética profissional. Assim, o fisioterapeuta é o profissional que está cada vez mais envolvido na equipe multiprofissional e deve estar capacitado para atender o paciente, conciliando competência técnica com a competência ética na sua atuação. Por isso, se torna valioso aprofundar os conhecimentos sobre esse assunto, para manter a atualização sobre as novas pesquisas, a fim de otimizar a assistência para com o paciente, daí a relevância do estudo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.