VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA

CARINA BOMFIM DE SOUZA, LILIANE EVELYN DOS SANTOS DE SOUZA, RAFAELA RITA DOS SANTOS BATISTA, SUELANE DA SILVA BESSA MARQUES, VITÓRIA SANTOS DE SOUZA, JANEZEIDE CARNEIRO DOS SANTOS BORGES

Resumo


A obstetrícia é uma área da saúde que visa à prestação de assistência e cuidado no período gestacional, durante o trabalho de parto e puerpério. O desejo da gestante é ter um parto humanizado, visto que este é um momento marcante. Atitudes inadequadas dos profissionais de saúde podem causar risco físico e psicológico quando estas são submetidas a qualquer procedimento desnecessário ou sem sua aceitação sendo caracterizado como violência obstétrica (SOARES; DORNFELD, e FERT 2016). A politica de humanização do nascimento teve inicio no ano de 2000, e vem sendo aperfeiçoada, no qual a preocupação com o respeito ao nascimento aumentou nos últimos anos. À medida que os casos de violência se tornam públicos (FRANCISCO, 2016). A declaração Universal sobre bioética e direitos humanos (2005) da Organização das Nações Unidas, cita em seus artigos os critérios para um atendimento visando o bem - estar e autonomia do indivíduo trazendo ainda questões éticas que envolvem a medicina, às ciências biológicas e às tecnologias para uso em seres humanos, tendo uma grande proporção legal na sociedade e ambiental. Por meio desse trabalho acadêmico científico, objetivou-se compreender a partir dos parâmetros da bioética os limites dos procedimentos obstétricos e a forma como a conduta profissional se relaciona com a promoção e o respeito da autonomia da parturiente.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.