TRANSTORNOS MENTAIS EM PROFISSIONAIS ENFERMEIROS

ESTELA BONFIM OLIVEIRA, CLARA DOURADO BRITO, GABRIEL DE SOUZA MIRANDA, GABRIELA BEATRIZ MARTINS DE SOUZA ALCÂNTARA, KATHIERINE CARVALHO JUVENAL SILVA, CARLA DORALICE ALVES DA SILVA

Resumo


Os transtornos mentais e de comportamento vem se mostrando como a segunda maior causa de doenças ocupacionais em trabalhadores da área da saúde, em destaque o profissional enfermeiro (MAGNAGO et al., 2010). Assim os transtornos mentais e comportamentais são condições clínicas peculiares por alterações nos pensamentos e nas emoções ou por comportamentos tangentes à angústia pessoal e/ou à deterioração do funcionamento psíquico, tendo efeitos deletérios, alcançando não apenas o indivíduo, como também a família e a comunidade. São prevalentes em todo o mundo: estima-se que 10% dos adultos apresente tais condições e que 25% da população mundial manifesta, pelo menos, um transtorno mental ao longo da vida, tendo a profissão enfermeiro como potencializador desses agravos mentais (CARVALHO et.al, 2016). Esses transtornos podem ser ocasionados por inúmeros fatores, destacando-se aqueles relacionados ao ambiente profissional, como baixo nível de controle sobre o próprio trabalho, elevadas demandas psicológicas e baixo apoio social. Os transtornos mentais tangenciados ao trabalho têm sido considerados problema de saúde pública em razão de sua alta prevalência em profissionais e de suas consequências − como o absenteísmo, incapacidades para o trabalho e aposentadoria precoce (SILVA JÚNIO et.al., 2014). Dessa forma esses fatores na maioria das vezes são ignorados ou negligenciados no tratamento dos indivíduos, ocasionando assim o aumento do uso de psicofármacos, tratamentos inadequados e internações desnecessárias (TADOKORO, 2012). 17º Congresso de Iniciação Científica da FASB, 2019, Barreiras – Ba ISSN 2594-7951 2 Contudo, nos últimos anos a saúde mental do enfermeiro passou a receber a devida atenção que jamais tivera antes, e sem dúvida um dos determinantes que justificam esse interesse foi a prevalência e recorrência com que esta problemática vem se apresentando, pois, historicamente a enfermagem é considerada uma das profissões que carregam consigo um grande vínculo emocional, devido às exposições ao sofrimento e a morte, cuja ocorrência acarreta desgaste físico e principalmente psíquico, apresentando possibilidade de se agravar dependendo das condições de trabalho e das individualidades de cada trabalhador, tornando-o susceptível ao desenvolvimento de transtornos mentais (RODRIGUES et al., 2014). Deste modo, objetivou-se com o presente estudo relatar as causas e fatores de risco para o desenvolvimento dos transtornos mentais nos profissionais enfermeiros.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.