PREVALÊNCIA DE FATORES DE RISCO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES NA POPULAÇÃO BRASILEIRA: Revisão de literatura

DANDARA RODRIGUES SIMÕES SIMÕES, JOSENANDO PEREIRA MACIEL, JANEZEIDE CARNEIRO SANTOS BORGES

Resumo


As doenças cardiovasculares (DCV) afetam o sistema circulatório, ou seja, o coração e os vasos sanguíneos (artérias, veias e vasos capilares), trazendo ocorrências graves que variam de uma trombose venosa profunda, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral entre outras (BOURBON, 2016). Em todo o mundo 17 milhões de pessoas sofrem de problemas no coração. No Brasil, essa taxa anual chega a 300 mil, de acordo com o Ministério da Saúde, o que corresponde a uma morte a cada dois minutos. Em uma década, de 2004 a 2014 3,5 milhões de mortes foram provocadas por problemas no coração e na circulação sanguínea. O número corresponde a quase mil mortes por dia (BRASIL, 2017b). Entre as ocorrências mais comuns estão o acidente vascular cerebral (AVC), com mil casos; seguido pelo infarto, com 85,9 mil casos. Doenças relacionadas à hipertensão chegam a 46,8 mil registros e 27,3 mil são de insuficiência cardíaca. Além disso, ainda que menos frequente neste grupo, as mulheres são as principais vítimas de infartos no País e somam 60% dos óbitos pela doença (BRASIL, 2017a). As DCV geralmente se iniciam a partir da meia idade e diferentes fatores de risco podem estar associados a alterações vasculares, culminando em um possível desenvolvimento de cardiopatias. Porém alguns estudos mostram que o processo aterosclerótico pode começar a se desenvolver na infância, onde estrias gordurosas precursoras das placas de ateroma aparecem na camada íntima da aorta aos três anos de idade e nas coronárias durante a adolescência, e como são manifestadas somente na idade adulta, resulta de complexa interação entre uma variedade de fatores de risco que podem ter origem nestas fases mais precoces da vida (SANTOS et al., 2018). Doenças crônicas não transmissíveis representam um grande e importante problema de saúde pública nos países desenvolvidos e em desenvolvimento, dentre essas doenças estão as cardiovasculares (DCV), que são responsáveis por uma grande taxa de mortalidade em todo o mundo (SOUSA, 2018). Baseando-se nesses dados, o presente artigo tem como objetivo destacar a prevalência dos principais fatores de doenças cardiovasculares na população brasileira nos últimos 09 anos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.