DIAGNÓSTICO SITUACIONAL DE ENFERMAGEM E DE SAÚDE COM INTERFACES NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES OCUPACIONAIS

ADISON SANTANA CRUZ SANTANA CRUZ, BRUNA CHRISTI ALVES DA SILVA, JULYANNE SILVA DA MATA, SÁSKYA PHLÍSIA PEREIRA LIMA, DULCE RODRIGUES DE MATOS

Resumo


O Diagnóstico Situacional de Enfermagem e de Saúde (DSES) é um instrumento utilizado para identificação e análise de uma realidade e suas necessidades. Tem por objetivo, propor a organização ou reorganização do local e consiste na primeira fase do planejamento. Nesse contexto, a saúde do trabalhador, era entendida apenas como aquela que se relacionava com o ambiente físico, excluindo os demais riscos que poderiam causar acidentes e enfermidades. Contudo, se faz necessário conhecer a realidade, a dinâmica e os riscos em que a população está inserida, a organização dos serviços e as rotinas das unidades de saúde (ANUNCIAÇÃO et al., 2015; SILVA; KOOPMANS; DAHER, 2016). Grandes são os índices de morbimortalidade devido aos acidentes de trabalho, o que constitui um importante problema de saúde pública, que se originam de atividades laborais insalubres e perigosas. Nesse sentido, a enfermagem é uma das profissões da área da saúde mais exposta aos riscos ocupacionais, por exigir a aproximação física com os pacientes e a manipulação com materiais, comprometendo a saúde do trabalhador (ANUNCIAÇÃO et al., 2015; SILVA et al., 2016). Visando diminuir os diversos riscos que comprometem a saúde dos colaboradores, bem como, redimensionar o papel individual na situação de risco, foi criado o mapa de riscos, estabelecido pela NR 05, como uma das obrigações da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Tais riscos também são trazidos pela NR 09, inclusos no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e pela NR 32, que trata dos riscos ocupacionais dos trabalhadores de instituições de saúde (SILVA; LIMA; MARZIALI, 2012; MONTEIRO; SILVA; OLIVEIRA, 2015). Esse mapeamento é utilizado para relatar e dar enfoque aos riscos em que os profissionais estão expostos, sendo eles responsáveis por deixar os colaboradores mais vulneráveis a sofrer um acidente de trabalho ou adoecimento. A produção e a execução desse instrumento de prevenção devem contar com a participação do trabalhador, para que os mesmos interajam e saibam interpretar e reconhecer o seu valor no controle eficaz dos riscos, estimulando a participação de todos em ações de prevenção de acidentes (SILVA; LIMA; MARZIALI, 2012; MONTEIRO; SILVA; OLIVEIRA, 2015). Nesse contexto, a relevância do presente estudo, se dá na possibilidade de reflexões críticas e discussões para criação de estratégias de segurança, assim, os profissionais de saúde, principalmente a equipe de enfermagem tornam-se autores na produção do cuidado, e também, contribuem para a criação de ambientes saudáveis e que cumpram à legislação. 17º Congresso de Iniciação Científica da FASB, 2019, Barreiras – Ba ISSN 2594-7951 2 Diante disso, objetiva-se por meio deste, relatar a experiência na realização do diagnóstico situacional no Hospital Municipal Eurico Dutra.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.