CONTAGEM DE BACTÉRIAS HETEROTRÓFICAS NA ÁGUA DA BACIA DO RIO GRANDE E RIO DE ONDAS, BARREIRAS-BA

GISELE LOUZADA, IVANA HORTÉLIO LEÃO ESPINHEIRA, LEONARDO FELIPE RODRIGUES DE OLIVEIRA

Resumo


O controle da qualidade da água é indispensável, sendo considerado um recurso natural e fundamental para existência da vida. Logo, a existência da atenção de consumidores e principalmente de autoridades sanitárias é vital, principalmente em água destinada ao consumo (MENDONÇA, et al., 2017). A água doce é um elemento fundamental para sobrevivência de seres vivos e manutenção da vida na Terra e têm sido motivo de discussões sobre suas formas de uso, escassez e poluição (CUNHA, et al., 2010). De acordo com o Manual Prático de Análise de Água (2013), a maioria dos microrganismos de águas naturais é inofensivos á saúde humana, exceto em contaminações com esgoto sanitário e lixos maus direcionados, que levarão ao crescimento de microrganismos capazes de deteriorar a qualidade da água, provocar odores e sabores desagradáveis. Mendonça e colaboradores (2017) apontam a realização e monitoramento bacteriológico da água constantemente, a fim de analisar os padrões de potabilidade humana, de modo a alcançar uma água limpa e livre de microrganismos patogênicos ou qualquer outra tipo de contaminação prejudicial à saúde. Bactérias Heterotróficas são microrganismos que dependem de carbono orgânico como fonte de nutriente e são capazes de indicar sobre a qualidade bacteriológica da água (DOMINGUES, et al., 2007). O artigo tem como objetivo, avaliar a presença de bactérias heterotróficas nas águas da Bacia do Rio Grande e Rio de ondas nos período seco e chuvoso.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.