AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DO HORMÔNIO TSH EM MULHERES NO MUNICIPIO DE LUIS EDUARDO MAGALHÃES

FRANÇOESE LAZZARI, RAISSA LOPES DE SOUZA OLIVEIRA, LEANDRO DOBRACHINSKI, SÍLVIO TERRA STEFANELLO, CAREN RIGON MIZDAL

Resumo


Os hormônios são mensageiros que agem através da corrente sanguínea, eles são sintetizados e armazenados nas glândulas endócrinas e possui funções como a regulação metabólica e no crescimento celular. Os hormônios produzidos pela tireoide são considerados de grande importância entre os demais, pois controlam o consumo de energia do organismo (BARROS, 2018). O hormônio produzido pela tireoide, a tireotrofina (TSH) é uma glicoproteína que estimula a produção de outros hormônios que também são liberados por essa glândula. Dessa forma quando há alteração na função tireoidiana é possível confirmar através da dosagem da tireotrofina, que deve ser analisada de forma combinada ou isolada aos sintomas clínicos do paciente (BARROS,2018). Os primeiros relatos de disfunção na glândula da tireoide conhecida anteriormente como glândula laríngea fui em egípcios a partir do ano 2000 a.C. As doenças nessa glândula a maioria das vezes são benignas e ocorrem geralmente em mulheres, pois 1% dessa população desenvolvem essa disfunção (NEMETZ, 2006). O aumento na produção e na liberação dos hormônios da tireoide o TSH é conhecido como hipertiroidismo, esse aumento na maioria das vezes ocorre devido a hiperfunção da glândula. Mediante a essa disfunção os sintomas mais prevalentes são fraqueza muscular, taquicardia, aumento do apetite, produção excessiva de calor e pele ruborizada. A diminuição dos níveis de TSH é conhecido como hipotireoidismo primário, essa alteração consiste em uma síndrome clínica que reflete a uma doença própria da glândula, o hipotiroidismo secundário provém da doença hipofisária ou hipotireoidismo terciário devido a patogênese hipotalâmica (MILHORANSA, 2009). A American Thyroid Association afirma que em mulher com idade superior a 35 anos devem fazer análise dos níveis hormonais da tireoide de 5 em 5 anos, pois nessa faixa etária ocorre um elevado risco de hipertiroidismo. Já a Academia Americana de Medicina e a Associação Americana de Endocrinologia recomenda que acima de 60 anos, essa análise seja feita periodicamente (MILHORANSA, 2009). Devido a incidência maior de alteração do hormônio TSH ser do sexo feminino, o presente estudo teve como objetivo primordial analisar os níveis do TSH em mulheres da cidade de Luis Eduardo Magalhães, avaliando também a idade mais prevalente com alterações dessa glicoproteína.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.