VERIFICAÇÃO DE GANHO DE PESO DIÁRIO ENTRE OVINOS SANTA INÊS E CRUZADOS COM DORPER AOS 90 DIAS E AOS 150 DIAS

JANILSON DA SILVA RAMOS, CAIO BORGES NASCIMENTO, KAYQUE MIRANDA GAMA, PEDRO HENRIQUE REZENDE, ANDRE CARLOTO VIELMO

Resumo


A raça Dorper (Ovis aries) é oriunda da África do Sul, originaria do cruzamento entre o Dorset e o Persian. Tem finalidade econômica na produção de carne e é considerado um animal robusto e um ótimo reprodutor (BARROS, 2004 ). Apresenta um ganho médio de peso de 190 a 330g/dia de carcaça no período pré-desmama, dessa forma, apresenta uma carcaça de qualidade, tendo excelente capacidade de cruzamento e fertilidade. A introdução de reprodutores Dorper no rebanho é com a intenção de obter animais de melhor qualidade e com mais peso, nem sempre o cruzamento é de puro sangue, sendo mais comum a reprodução entre Dorper X Santa Inês (Notter, 2000). A raça Santa Inês é de origem brasileira, especificamente no Nordeste, em seu histórico possui características genéticas das raças Morada Nova, Somalis e Bergamácia, raça leiteira de origem Italiana (CEZÁR, 2004) o que proporciona a raça um potencial incremento na quantidade de leite produzida. A rusticidade foi herdada da raça Morada Nova que tem uma ótima resistência ao manejo extensivo, resultando em uma alta produtividade. Economicamente a raça Santa Inês desenvolve e abastece o mercado de carne por possuir uma carne delicada de alta procura, animais de grande porte e mochos (sem chifres), os machos adultos pesam de 80 a 100 kg, já as fêmeas adultas pesam de 60 a 70 kg (ALENCAR,2007). Segundo Sampaio et al. (2001), os ovinos são animais exigentes em termos de alimentação, adaptando bem a lugares ricos em forragem. O cruzamento de ovinos da raça Dorper com ovinos da raça Santa Inês tem efeito significativo no ganho de peso, no manejo e adaptação genética, sendo que uma raça serve de complementação para a outra, suprindo as necessidades de produção, adaptação e que resulta significativamente em peso de carcaça e qualidade, assim realizando uma produção viável e com potencial para abastecer o mercado de ovinos (SOUSA et al .,2003). Tendo em vista as diferenças de ganho de peso diário entre raças, indivíduos, sexo e sistemas de produção torna-se importante realizar verificações rotineiras em todos os sistemas de produção buscando-se assim o constante aperfeiçoamento. Nesse contexto, este estudo de caso teve como objetivo verificar o ganho de peso diário de ovinos Santa Inês e Cruzados com Dorper até os 90 e 150 dias de idade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.