ANÁLISE BIOMÉTRICA E FÍSICO-QUÍMICA DE FRUTOS DE UMBU-CAJÁ Spondia tuberosa x Spondia mobin

ÉRICA TAYLA ALMEIDA TEIXEIRA, TALITA DOS SANTOS SILVA, VANESSA RAVENA LIMA MARTINS RAVENA LIMA MARTINS, FLÁVIO SANTOS LOPES, JULIANE KARSTEN

Resumo


O Nordeste brasileiro é uma região que apresenta um grande número de fruteiras nativas. O aproveitamento desses frutos é de grande importância nutricional, principalmente para as populações rurais do semiárido. Entre essas fruteiras destacam-se o umbuzeiro e a umbu-cajazeira, por serem plantas que produzem grande quantidade de frutos. O cultivo desses frutos vem crescendo nos últimos anos, em função do crescimento do mercado gastronômico, que busca novos sabores para atender aos paladares mais exigentes. As vantagens de se cultivar frutos nativos, é a adaptação dos mesmos ao clima e solo da região. Os mesmos podem ser comercializados in natura ou através dos derivados como doces, geleias, dentre outras (SANTOS, 2010). A umbu-cajazeira (Spondia tuberosa x Spondia mobin) pertence à família Anacardiaceae e ao gênero Spondia considerado um híbrido natural entre o umbuzeiro e a cajazeira. É uma árvore caducifólia, possui altura que varia em média entre 8 a 12 metros, a copa é aberta e pode chegar até 16 metros de diâmetro, apresenta um tronco semiereto envolvido por uma casca acinzentada, rugosa e grossa. As folhas são compostas-pinadas, e possuem longo-peciolos, e pode ter de 8 a 26 folíolos membranáceos, que pode medir entre 4 e 6 centímetros de comprimento. As inflorescências são reunidas em panículas terminais de 20 a 30 centímetros de comprimento, as flores possuem cor branca. Sua floração acontece geralmente a partir de dezembro e a frutificação a partir de março (LIMA, 2012). O fruto é caracterizado como uma drupa arredondada, de cor amarela, casca fina e lisa, com endocarpo chamado “caroço”, grande, branco, suberoso e enrugado, localizado na parte central do fruto. Os umbus-cajá possuem ótimo sabor e aroma e boa qualidade nutritiva, na maioria das vezes são consumidos in natura, porém apresenta um rendimento médio de 55 a 65% em polpa, qualidade que lhe proporciona ótimo potencial para utilização na forma processada como polpa congelada, sucos, néctares e sorvetes (LIMA et al, 2002). A qualidade dos frutos muitas vezes é atribuída a fatores físicos como a aparência externa, principalmente o tamanho, forma do fruto e a cor da casca. Essas características estão relacionadas ao conjunto de atributos referentes à aparência, sabor, odor, textura e valor nutritivo. A qualidade física e físico-química dos frutos pode ser influenciadas e sofrerem divergências de acordo os tratos culturais, constituição genética, estádio de maturação, época de colheita e do tratamento pós-colheita (FREITAS, 2017). Objetivo desse trabalho foi avaliar as características físicas e químicas de frutos de diferentes plantas de umbu-cajá oriundos do município de Barreiras-BA.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.