A Identidade dos Sujeitos em Stuart Hall e a Catástrofe da Barragem de Fundão, na Cidade de Mariana

Gilberto Pereira da Costa, Edson Benedito Rondon Filho

Resumo


Objetivo do estudo: Analisar os reflexos da catástrofe da barragem de Fundão em Mariana – MG - na sociedade brasileira contemporânea, com ênfase na identidade dos sujeitos pertencentes à população atingida e no ordenamento jurídico pátrio.

Metodologia/ abordagem: A abordagem é qualitativa com uma fase exploratória fundada na pesquisa bibliográfica, seguida de fase descritiva analítica com suporte no método dedutivo.

Originalidade/ Relevância: Explicitar os valores identitários dos sujeitos vitimados pelo rompimento da barragem do Fundão em Mariana, Minas Gerais, com base nos conceitos de identidade de Stuart Hall.

Principais resultados: A partir do levantamento dos valores e sugestão de resgate das identidades em apreço, chegou-se a uma aproximação do comportamento do Direito, normas e diretrizes em relação aos grandes empreendimentos minerários no Brasil e como estão sendo tratados no âmbito administrativo, onde prevalece a discricionariedade dos atos.

Contribuições teóricas/ metodológicas: Defesa do Princípio da Segurança Licenciária na Perspectiva Humana, consolidando medidas de proteção proativas.

Contribuições sociais / para a gestão: Proposta de proibição do método de construção de barragens à montante e respeito aos valores identitários da população afetada pelo empreendimento, bem como, a transferência aos interessados na construção das barragens a obrigatoriedade de arcar com as despesas de segurança prévia, onde somente após adoção dessas medidas se poderá dar início às operações de potencial risco.


Palavras-chave


Barragem de Fundão em Mariana; Identidade Cultural; Catástrofe social;Proteção jurídica; Princípio da Segurança Licenciária

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO: Cadastro Nacional de Barragens de Mineração. Disponível em: < http://www.anm.gov.br/assuntos/barragens/pasta-cadastro-nacional-de-barragens-de-mineracao/cadastro-nacional-de-barragens-de-mineracao> Acesso em 07 jun. 2020.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Meio Ambiente e Energia. Nova versão de projeto de licenciamento ambiental divide opiniões. Disponível em: < https://www.camara.leg.br/noticias/596556-NOVA-VERSAO-DE-PROJETO-DE-LICENCIAMENTO-AMBIENTAL-DIVIDE-OPINIOES > Acesso em: 08 jun. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Presidência da República, 2020. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm > Acesso em 07 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 6.938 de 1981. Brasília: Presidência da República, 2020. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L6938.htm#:~:text=LEI%20N%C2%BA%206.938%2C%20DE%2031%20DE%20AGOSTO%20DE%201981&text=Disp%C3%B5e%20sobre%20a%20Pol%C3%ADtica%20Nacional,Lei%2C%20com%20fundamento%20no%20art. > Acesso em: 07 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 8.666 de 1993. Brasília: Presidência da República, 2020. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666cons.htm > Acesso em: 07 jun. 2020.

BRASIL. Código Civil (2002). Lei nº 10.406 de 2002. Brasília: Presidência da República, 2020. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10406.htm > Acesso em: 07 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 12.334 de 2010. Brasília: Presidência da República, 2020. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12334.htm > Acesso em: 07 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 12.651 de 2012. Brasília: Presidência da República, 2020. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm > Acesso em: 07 jun. 2020.

BRASIL. Decreto-Lei nº 25 de 1937. Brasília: Presidência da República, 2020. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del0025.htm > Acesso em: 07 jun. 2020.

BRASIL. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Laudo Técnico Preliminar. Impactos ambientais decorrentes do desastre envolvendo o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais. [s.l.]: IBAMA, 2015. Disponível em:< https://jornalismosocioambiental.files.wordpress.com/2016/01/laudo-preliminar-do-ibama-sobre-mariana.pdf > Acesso em: 06 jun. 2020.

CARVALHO, Matheus. Manual de Direito Administrativo. 5. ed. rev., ampl. e atual. Salvador: JusPODIVM, 2018.

CARVALHO, Matheus. Administrativo Teoria e Prática. 15. ed. rev., ampl. e atual. Salvador: JusPODIVM, 2019.

CORREIO. Há três anos, desastre com barragem em Mariana matou 19 pessoas. Disponível em: < https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/ha-tres-anos-desastre-com-barragem-em-mariana-matou-19-pessoas/ > Acesso em: 08 jun. 2020.

CUNHA JR., Dirley. Curso de Direito Constitucional. 8ª ed. Editora JusPODIVM, 2014.

DIEGUEZ, Consuelo. Vítimas de Mariana cobram R$ 25 bi de mineradora BHP na Inglaterra. In: Folha de São Paulo. Piauí. 2019. Disponível em: < https://piaui.folha.uol.com.br/vitimas-de-mariana-cobram-r-25-bi-de-mineradora-bhp-na-inglaterra/ > Acesso em: 07 jun. 2020.

G1 MINAS GERAIS, Sobe para 225 o Número de Mortos Identificados no Desastre da Vale em Brumadinho. Disponível em: < https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2019/04/10/sobe-para-225-o-numero-de-mortos-identificados-no-desastre-da-vale-em-brumadinho.ghtml > Acesso em: 07 jun. 2020.

G1 MINAS GERAIS, Desastre ambiental em Mariana. Disponível em: < http://especiais.g1.globo.com/minas-gerais/2015/desastre-ambiental-em-mariana/1-mes-em-numeros/ > Acesso em: 07 jun. 2020.

G1 ZONA DA MATA – MG. Em Cataguases, barragem rompida foi desativada após acidente em 2003. Disponível em: < http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/11/em-cataguases-barragem-rompida-foi-desativada-apos-acidente-em-2003.html > Acesso em: 07 jun. 2020.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 8ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

HALL, Stuart. A identidade dos sujeitos na pós-modernidade. Ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

HOJE EM DIA. Renova apresenta balanço de reparações após rompimento de barragem em Mariana. Disponível em: < https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/renova-apresenta-balan%C3%A7o-de-repara%C3%A7%C3%B5es-ap%C3%B3s-rompimento-de-barragem-em-mariana-1.751696 > Acesso em: 08 jun. 2020.

LAKATO, Eva Maria: MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho científico. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. Denúncia referente ao IPL n.º 1843/2015 SRPF/MG; Autos n.º 38.65.2016.4.01.3822 (Busca e apreensão); Autos n.º 3078-89.2015.4.01.3822 (Medida Cautelar); IPL Polícia Civil - MG 1271-34-2016.4.01.3822; IPL Polícia Civil - MG 1250-24.2016.4.01.3822; Procedimento Investigatório Criminal (PIC) - MPF n.º 1.22.000.003490/2015-78; Procedimento Investigatório Criminal (PIC) MPF n.º 1.22.000.000003/2016-04. Disponível em: < http://www.mpf.mp.br/mg/sala-de-imprensa/docs/denuncia-samarco > Acesso em: 08 jun. 2020.

O GLOBO, Ambientalistas Criticam Kataguiri Por PL que Muda o Licenciamento Ambiental. 2019. Disponível em: < https://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/ambientalistas-criticam-kataguiri-por-pl-que-muda-licenciamento-ambiental-23875133 > Acesso em: 07 jun. 2020.

RICHARDISON, Roberto Jerry; Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. São Paulo: Atlas, 2011.

SAYÃO, Roberto; MIGUEZ, Flávio. Barragens e Rejeitos. Disponível em: < https://abms.com.br/links/Barragens-e-Rejeitos_Coluna-conselho-Revista%20FOG-num66-marco-2016.pdf > Acesso em: 08 jun. 2020.

SILVA, José Afonso da. Direito ambiental constitucional. São Paulo: Malheiros, 2013.

SILVA, Romeu Faria Thomé da. Manual de Direito Ambiental. 9. ed. rev., atual. e ampl. Salvador: JusPodivm, 2019.

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO. Habeas Corpus nº 1029985-02.2018.4.01.0000. 2019. Disponível em: < https://www.conjur.com.br/dl/trf-tranca-acoes-homicidio-executivos.pdf > Acesso em 06 jun. 2020.

YOU TUBE. Comissão de Direitos Humanos. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=pVdp3jep6JI > Acesso em: 06 jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.3749/revistacampjur.v8i1.597

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

CAMPO JURÍDICO e-ISSN: 2317-4056

 Licença Creative Commons

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.