Limites do Nexo de Causalidade Existentes entre a Responsabilização dos Hospitais pelo Insucesso de Cirurgias e as Condições Gerais de Saúde

Miguel Kfouri Neto, Beathrys Ricci Emerich

Resumo


O projeto intitulado, “Limites do nexo de causalidade existentes entre a responsabilização dos hospitais pelo insucesso de cirurgias e as condições gerais de saúde” trata da discussão acerca dos limites do nexo de causalidade existentes entre a responsabilidades das instituições hospitalares e as péssimas condições gerais de saúde oferecidas pelo governo brasileiro. Apesar de não ser um tema novo, os direitos dos hospitais no tocante a relação hospital-paciente e hospital-recursos tornam-se o centro das atenções como elemento definidor não só de uma nova era da sociedade, mas também de uma revisão antropológica da relação direitos fundamentais – limites do nexo de causalidade. O presente estudo objetiva investigar os limites do nexo de causalidade existentes entre a responsabilização do hospital e a escassez de recursos oferecidos pelo governo, nos casos de insucessos de procedimentos cirúrgicos. Dentre os objetivos específicos, a pesquisa visa trazer os conceito e histórico da responsabilidade civil; demonstrar os fundamentos no Código Civil e no Código de Defesa do Consumidor; diferenciar a responsabilidade civil subjetiva da objetiva; esclarecer qual a natureza jurídica da relação hospital/paciente; apontar quais as obrigações do hospital; esclarecer qual a responsabilidade civil do hospital frente ao insucesso de procedimentos cirúrgicos; identificar a aplicação do Código de Defesa do Consumidor e do Código Civil nas instituições hospitalares, bem como as condições gerais das instituições públicas hospitalares; e, por fim, apontar quais os limites do nexo causal em procedimentos cirúrgicos mal sucedidos. O estudo bem sendo realizado mediante a abordagem qualitativa que se caracteriza pela pesquisa primária documental, com o intuito de ampliar os conhecimentos, fundamentando-se no estudo de referenciais teóricos, tendo empregado onde as contradições se transcendem dando origem a novas contradições que requerem soluções. No ponto de vista dos objetivos metodológicos deste estudo, o tipo de pesquisa que é exploratória com vista a proporcionar maior familiaridade com um problema em razão de escolhermos para procedimentos técnicos de investigação o levantamento bibliográfico, elaborada a partir de consultas acerca do entendimento de constitucionalistas e juristas e empreendedores sobre a aplicabilidade dos limites do nexo de causalidade nas instituições hospitalares frente ao insucesso em procedimentos cirúrgicos, bem como utilização de artigos acadêmicos em sítios da internet apropriados. Assim, a metodologia a ser adotada será a dedutiva, isto é, análises de doutrinas, artigos e legislações. Além disso, será empregado o método indutivo devido com a análise de jurisprudências acerca do tema até o presente momento. O estudo de tal temática, tão vasta e complexa representa um desafio, como demonstram as diversas investigações multidisciplinares das áreas, que, sob diferentes enfoques e perspectivas, vêm continuamente tentando avançar a compreensão teórica do assunto. O estudo deste fenômeno e sua aplicabilidade na esfera juslaboral exigem prévia contextualização do instituto e sua evolução no tempo como condição para entender seus fundamentos, sua função teleológica, e, por fim, a verificação da sua efetividade sob o viés da proteção dos direitos fundamentais da saúde. O estudo em questão pretende contribuir para o entendimento de que a saúde deve ser compreendida como qualidade de vida e não apenas como ausência de doenças. E, isso deve ser garantido por políticas sociais e econômicas, reduzindo o risco de doenças e promovendo o acesso universal e igualitário às ações e serviços para promoção, proteção e recuperação da saúde. 


Palavras-chave


Responsabilidade Civil; Limites Do Nexo Causal; Responsabilidade Civil Dos Hospitais; Escassez De Recursos Do Governo; Condições Gerais De Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR JÚNIOR, Rui Rosado de. Responsabilidade civil do médico, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 84, n. 718, 1995.

BITTAR, Carlos Alberto. Curso de direito civil. 1. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1994.

BRASIL. Lei nº. 8.078, de 11 de setembro de 1990. Código de Defesa do Consumidor. Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8078.htm. Acesso em: 23 jan. 2020.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula n° 341. Presumida a culpa do patrão ou comitente pelo ato culposo do empregado ou preposto. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/jurisprudencia/menuSumarioSumulas.asp?sumula=2478. Acesso em: 13 jan. 2020.

CAVALIERI FILHO, Sérgio. Programa de Responsabilidade Civil, São Paulo: Atlas, 2008.

DANTAS, San Tiago. Programa de Direito Civil I, Rio de Janeiro: Rio, 2001.

DIAS, José de Aguiar. Da Responsabilidade Civil. 11. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.

DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro: Responsabilidade Civil. 17. ed., v.7., São Paulo: Saraiva, 2003.

DINIZ, Maria Helena. Tratado teórico e prático dos contratos. 5. ed., v. 2, São Paulo: Saraiva, 2003.

FRANCISCO, Caramuru Afonso. Responsabilidade Civil dos Hospitais, Clínicas e Prontos-socorros. In: BITTAR, Carlos Alberto (Coord.). Responsabilidade Civil Médica, odontológica e hospitalar. São Paulo: Saraiva, 1991.

GAGLIANO, Pablo Stolze. Novo Curso de Direito Civil: Responsabilidade Civil. São Paulo: Saraiva, 2011.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro: Responsabilidade Civil. 7. ed., São Paulo: Saraiva, 2011.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro: Responsabilidade Civil, v. IV, 4. ed., São Paulo: Saraiva, 2009.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro: Responsabilidade civil. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 1996.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro: Responsabilidade Civil. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

KFOURI NETO, Miguel. Culpa médica e ônus da prova. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

KFOURI NETO, Miguel. Responsabilidade Civil do Médico. 5. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.

MATIELO, Fabrício Zamprogna. Responsabilidade civil do médico. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 1998.

NORONHA, Fernando. Direito das Obrigações. Fundamentos do direito das obrigações: introdução à responsabilidade civil. São Paulo: Saraiva, 2003.

OLIVEIRA, Francisco Cardozo; OLIVEIRA, Nancy Mahra de Medeiros Nicolas. Leis, Serpentes e Baratas: análise reconstrutiva da sobrevivência das formas de fundamentos do Direito Moderno e seus efeitos na realidade brasileira. SEQUÊNCIA (UFSC), v. 40, 2019.

RAMOS, Edith Maria Barbosa; NETTO, Edson Barbosa de Miranda. O Federalismo E O Direito À Saúde Na Constituição Federal De 1988: Limites E Possibilidades Ao Estabelecimento De Um Autêntico Federalismo Sanitário Cooperativo No Brasil. Revista Juridica, [S.l.], v. 4, n. 49, p. 304 - 330, nov. 2017. ISSN 2316-753X. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2020. doi:http://dx.doi.org/10.21902/revistajur.2316-753X.v4i49.2296.

RIZZARDO, Arnaldo. Responsabilidade Civil: lei n. 10.406/2002. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

SAMPAIO, Rogério Marrone de Castro. Responsabilidade civil. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

SILVA, Clóvis do Couto e, Dever de indenizar. In: Revista de Jurisprudência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, v.5.

SILVA, Patrick L. Fatos Jurídicos: teoria e prática. Porto Alegre: verbo jurídico, 2011.

TEPEDINO, Gustavo. Notas sobre o nexo de causalidade. In: Temas de direito civil, tomo II. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.




DOI: https://doi.org/10.3749/revistacampjur.v8i1.579

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

CAMPO JURÍDICO e-ISSN: 2317-4056

 Licença Creative Commons

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.