O Direito à Privacidade do Empregado Face às Decisões de Extinção do Contrato de Trabalho Motivadas pelo Empregador

Wellington Antonio Baldissera

Resumo


Com a popularização da internet, vários fatos novos passaram a necessitar da tutela do direito, todavia, algumas dessas novas situações não eram tratadas com a atenção que merecem, principalmente no Brasil, onde a grande maioria dos códigos de leis encontram-se desatualizados e os magistrados despreparados para lidar com essas novas questões. A jurisdição em demandas envolvendo a proteção de dados é um destes aspectos que precisou ser melhor analisado, tanto na esfera nacional quanto internacional, principalmente, considerando que envolve aspectos relativos ao direito à privacidade, o qual é um direito fundamental do ser humano. A partir do estudo realizado conclui-se que o empregador não possui o direito de demitir o empregado em face do que foi compartilhado nas redes sociais deste último, exceto em casos que ofendam diretamente o empregador. O método utilizado nessa pesquisa é o monográfico e a técnica de pesquisa é a bibliográfica. 


Palavras-chave


Demissão por justa causa. Redes sociais. Privacidade. Contrato de trabalho. rescisão

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Luiz Alberto David; NUNES JÚNIOR, Vidal Serrano. Curso de Direito Constitucional. 9. ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

BASTOS, Celso Ribeiro. Tribunal Regional Federal da 1ª Região. A Constituição na Visão dos Tribunais – Interpretação e Julgados- Artigo por Artigo. vol. I. Brasília: Editora Saraiva, 1997.

BOFF, Salete Oro; FORTES, Vinícius Borges. A Privacidade e a Proteção dos Dados Pessoais no Ciberespaço como um Direito Fundamental: perspectivas de construção de um marco regulatório para o Brasil. Seqüência (Florianópolis), n. 68, p. 109-127, jun. 2014. Disponível em: Acesso em: 12/07/2018.

BOLESSINA, Iuri. Direito à Extimidade. Raízes Jurídicas, Curitiba, Paraná, vol. 9 n. 2, jul./dez. 2017, p. 115-144.

BRASIL. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988. Disponível em: Acesso em 06 de julho de 2018.

DINIZ, Maria Helena. Uma visão constitucional e civil do novo paradigma da privacidade: o direito a ser esquecido. Revista Brasileira de Direito, Passo Fundo, vol. 13, n. 2, p. 7-25, Mai.-Ago. 2017. Disponível em: < https://seer.imed.edu.br/index.php/revistadedireito/article/view/1670/1185> Acesso em: 12/07/2018.

FERNANDEZ, Dora García. El derecho a la intimidad y el fenómeno de la extimidad. In:Dereito, vol. 19, n. 2, pp. 269-284, 2010. Disponível em: https://minerva.usc.es/xmlui/bitstream/handle/10347/7956/pg_271-286_dereito19-2.pdf?sequence=1. Acesso em: 03 de dezembro de 2018.

FORTES, Vinícius Borges. Os direitos de privacidade e a proteção de dados pessoais na internet. Editora Lumen Juris, Rio de Janeiro, 2016.

LEONARDI, Marcel. Tutela e privacidade na internet. Editora Saraiva. São Paulo. 2011.

LORENZETTI, Ricardo Luís. Fundamentos do Direito Privado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1998.

MENDES; Gilmar Ferreira; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 13ª Edição, Saraiva Educação S.A. 2018. Disponível em: Acesso em: 10/07/2018.

TRT4. Mandado de Segurança. MS nº 0020266-45.2018.5.04.0000. Trânsito em julgado: 11/06/2018. Relator: Fabiano Holz Beserra. Disponível em: Acesso em: 12/07/2018.

TRT4. Recurso Ordinário. RO nº 0000483-76.2014.5.04.0301. Relator: Gilberto Souza dos Santos. Decisão de 14/12/2017. Disponível em: Acesso em: 12/07/2018.

TRT4. Recurso Ordinário. RO nº 0021192-61.2016.5.04.0011. Relator: Alexandre Correa Da Cruz. Trânsito em julgado em 27 de abril de 2018. Disponível em: < https://www.trt4.jus.br/pesquisas/rest/cache/acordao/pje/tYF8zi0Zwh-rrH2fPxNALQ?&tp=redes+sociais+justa+causa> Acesso em: 07/12/2018.




DOI: https://doi.org/10.3749/revistacampjur.v8i1.288

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

CAMPO JURÍDICO e-ISSN: 2317-4056

 Licença Creative Commons

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.