Políticas Editoriais

Foco e Escopo

CAMPO JURÍDICO é um periódico científico de publicação semestral que visa promover o acesso a estudos na área de Direito, notadamente aqueles que se encaixem nos seguintes eixos temáticos: i) Direito, Sociedade Agrária e Ambiente; ii) Teoria Jurídica e Evolução Social. Trata-se de periódico voltado a contribuições científicas, nacionais e estrangeiras, que problematizem, à luz das diversas matrizes epistemológicas, os aspectos teóricos basilares do Direito, bem como a contribuições que reflitam acerca dos problemas que envolvem a dogmática jurídica agrário-ambiental. Destacam-se, entre os valores que norteiam a revista, o viés crítico, o reconhecimento da inseparabilidade do fenômeno jurídico da realidade social (mormente de sua dimensão agrária e ambiental) e a democratização do conhecimento científico-jurídico. Nesse sentido, CAMPO JURÍDICO aceita abordagens teóricas e metodológicas diversas, cujas análises se sustentem em marcos teóricos sólidos relacionados aos seus eixos temáticos. Os artigos a ela submetidos serão recepcionados na forma de fluxo contínuo, sendo analisados pelo método “double blind peer review” (análise cega por pares) – ou seja, são avaliados pelos Pareceristas para, posteriormente, serem repassados ao Conselho Editorial.

CAMPO JURÍDICO é uma iniciativa do Curso de Direito da FASB (Faculdade São Francisco de Barreiras), instituição que tem por missão desenvolver uma prática educativa de nível superior integrada nos valores ético-morais, contemplando, em seu processo ensino/aprendizagem a pesquisa acadêmica e a formação da cidadania e libertação humana. Fundada na cidade de Barreiras, Estado da Bahia, a FASB, em 2001, teve a autorização do Curso de Direito (Portaria nº 1.363, de 4 de julho de 2001), cristalizando um significado ímpar para o oeste baiano, não apenas por se tratar de mais um curso superior, mas por sua chegada em um momento de intensas discussões sobre o papel do Direito nesta sociedade complexa, bem como pela representação maior em termos de responsabilidade social e ética que a profissão requer. É com esta orientação que a Faculdade São Francisco de Barreiras continua sua tarefa maior de contribuir para o desenvolvimento da região Oeste da Bahia, possibilitando, doravante, o nascimento de um periódico científico-jurídico crítico e reflexivo que contemple as mais sofisticadas reflexões acerca da Teoria do Direito e da problemática agrário-ambiental.

 

Políticas de Seção

Expediente

Editores
  • Álvaro Ferro Rossi
  • Marcos Marinho
  • Cristiane Pacheco
  • Maritânia Rafagnin
Não verificado Submissões abertas Não verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

Editorial

Política padrão de seção

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

Direito, Sociedade Agrária e Ambiente

Editores
  • Álvaro Ferro Rossi
Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Teoria Jurídica e Evolução Social

Editores
  • Marcos Marinho
Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Espaço Discente

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenhas

Publicação de Resenhas e obras jurídicas e áreas afins.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

Todos os artigos submetidos à Revista CAMPO JURÍDICO passam por rigorosa análise prévia, a ser realizada pelos Editores, os quais verificarão a compatibilidade de conteúdo com os eixos temáticos do periódico (Teoria Jurídica e Evolução Social; Direito Ambiental, Sociedade Agrária e Desenvolvimento), observando, igualmente, os aspectos metodológicos e estéticos elementares do artigo científico. Por conseguinte, os artigos são remetidos aos Pareceristas, para a avaliação qualitativa, pelo processo “double blind peer review” (avaliação cega por pares). Posteriormente à devolução da análise, o parecer é encaminhado para o(s) respectivo(s) autor(es) para proceder(em) às possíveis modificações sugeridas pelos Pareceristas, sem que haja, no entanto, a identificação dos mesmos. A partir daí, o texto modificado será novamente enviado para a Revista CAMPO JURÍDICO, sendo desde logo avaliado pelos Editores. Havendo divergência por parte do(s) autor(es) acerca da análise qualitativa dos Pareceristas, poderá(ão) o(s) autor(es) justificar seu posicionamento perante os Editores, que submeterão o artigo aos membros do Conselho Editorial para deliberação acerca da publicação (ou não) do mesmo. Se, porventura, os membros do Conselho Editorial acompanharem a posição dos Pareceristas em negar a publicação do artigo, a Revista se reserva o direito de não publicá-lo.

 

Periodicidade

CAMPO JURÍDICO é um periódico científico semestral, com publicações em maio e outubro de cada ano.

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. Saiba mais...

 

Sobre a revista

CAMPO JURÍDICO é uma iniciativa do Curso de Direito da FASB (Faculdade São Francisco de Barreiras), instituição que tem por missão desenvolver uma prática educativa de nível superior integrada nos valores ético-morais, contemplando, em seu processo ensino/aprendizagem a pesquisa acadêmica e a formação da cidadania e libertação humana. Fundada na cidade de Barreiras, Estado da Bahia, a FASB, em 2001, teve a autorização do Curso de Direito (Portaria nº 1.363, de 4 de julho de 2001), cristalizando um significado ímpar para o oeste baiano, não apenas por se tratar de mais um curso superior, mas por sua chegada em um momento de intensas discussões sobre o papel do Direito nesta sociedade complexa, bem como pela representação maior em termos de responsabilidade social e ética que a profissão requer. É com esta orientação que a Faculdade São Francisco de Barreiras continua sua tarefa maior de contribuir para o desenvolvimento da região Oeste da Bahia, possibilitando, doravante, o nascimento de um periódico científico-jurídico crítico e reflexivo que contemple as mais sofisticadas reflexões acerca da Teoria do Direito e da problemática agrário-ambiental.

 

EIXOS TEMÁTICOS

DIREITO, SOCIEDADE AGRÁRIA E AMBIENTE.

A relação do homem com a terra remonta aos primórdios da humanidade. A formação da comunidade e sua fixação permanente em um dado local somente foram possíveis a partir do domínio de técnicas agrárias que permitissem a produção contínua, em quantidade suficiente para alimentar o grupo social. Da mesma forma, a sociedade brasileira vem moldando-se no tempo, intrinsecamente relacionada ao meio rural. O Brasil, reiteradamente, demonstra sua vocação agrária, sendo apontado inclusive como grande celeiro mundial. Destarte, o constante crescimento do setor produtivo vem incentivando a formação de novos espaços agrários, a exemplo da própria região oeste baiana, vista como nova fronteira produtora, cujo desenvolvimento social se deve muito ao sucesso do meio rural. Não obstante, nesse mesmo cenário, desvelam-se os aspectos negativos, tais como os conflitos fundiários, a submissão de trabalhadores a condições degradantes ou mesmo análoga a de escravos, o êxodo rural, os impactos ambientais, entre outros problemas que permeiam o meio rural. Desse modo, urge a criação de um espaço teórico-jurídico que possibilite a discussão acerca dos atuais temas que envolvem o Direito Agrário e sua interface com o Direito Ambiental. Com efeito, o presente eixo temático visa acolher contribuições científicas que contribuam para o desenvolvimento da teoria e da prática jurídico-agrária, apontando para possíveis soluções das distorções e conflitos que envolvem os diferentes espaços agrários no país.

TEORIA JURÍDICA E EVOLUÇÃO SOCIAL.

Em face de uma sociedade complexa, globalizada, o Direito precisa receber estímulos teóricos que não sejam apenas aqueles oriundos da prática jurídica (ou seja, análises meramente dogmáticas). Necessita, pois, igualmente, abrir-se cognitivamente ao Sistema da Ciência, o qual pode servir de relevante fonte de abstração conceitual e sistematização teórica. Com efeito, sabe-se, desde a Teoria Crítica do Direito, que a dogmática jurídica, por ser um saber voltado a responder por meio de estruturas de valores os problemas futuros do Direito, tende a enfatizar a repetição, não fornecendo, consequentemente, respostas adequadas e satisfatórias aos problemas complexos, provenientes das atuais configurações das relações jurídicas em um contexto de globalização social. Assim, o eixo temático “Teoria Jurídica e Evolução Social” busca abrir um amplo espaço teórico-reflexivo, que possibilite a discussão acerca das diferentes matrizes epistemológicas que orientam o pensamento jurídico contemporaneamente, abrindo, desse modo, um espaço privilegiado para a problematização dos denominados Novos Direitos.



INDEXAÇÕES

Início