Desde 2013 a Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB) integra a Rede Ibero-americana de Faculdades e Escolas de Direito. Uma das vantagens dessa organização, que congrega mais de 40 instituições de ensino da América Latina, Espanha e Portugal, é a realização de intercâmbios de curta duração entre seus membros.  

Atualmente, três estudantes da Universidad Bernardo O’Higgins, de Santiago, capital do Chile, estão participando de estudos de ‘Direito Comparado’ na sede da FASB, em Barreiras. Eles chegaram na sexta-feira (13) e devem permanecer até domingo (22). “É uma experiência muito inovadora. Em especial, pelo meio social distinto, a maneira como os tribunais funcionam, certa diferença hierárquica, muito mais instâncias. No Chile há apenas a primeira e a segunda instâncias. Chega a ser surpreendente para nós”, pontuou o intercambista chileno Angelo Barriga. Ele disse estar muito feliz pela receptividade dos brasileiros e elogiou a estrutura da FASB. 

“O Direito Comparado produz avanços. Quando a gente estuda um pouco sobre como funciona no Chile, percebe o quanto precisa avançar o Direito no Brasil. O sistema recursal deles é mais simples, o que favorece a celeridade. Eles até se assustam com o fato de podermos recorrer quatro vezes. O custo do judiciário brasileiro, que é o mais caro do mundo, também assusta os chilenos. Um juiz de primeiro grau no Brasil chega a ganhar quatro vezes mais que um chileno. Essa troca de experiências é muito importante nesse sentido”, explicou a acadêmica da FASB, Luísa Rocha, que deve visitar o Chile no início de 2018, na companhia de outros alunos da instituição. 

O coordenador de mobilidade acadêmica da FASB, Thiago Rafagnin, falou um pouco sobre a programação para os visitantes. “Já realizamos estudos de Direito Comparado Constitucional, Penal e, agora, na grande área dos Direitos Humanos. As visitas técnicas aos tribunais estão na programação, onde os acadêmicos podem dialogar com juízes, procurador, Ministério Público Federal, além de visitas ao IML e penitenciária. Mostramos também a nossa instituição de ensino, que é bem peculiar, com uma proposta própria, baseada no paradigma da sustentabilidade coletiva, diferente da instituição onde eles estudam”, declarou. 

O intercâmbio é uma oportunidade valiosa para os estudantes. Além do acesso ao conteúdo acadêmico-científico, nas horas livres eles podem aproveitar para conhecer um pouco sobre a cultura e os atrativos locais. “Demos uma volta pela cidade, experimentamos comidas típicas e estivemos nos rios, que são atrativos turísticos muito bonitos”, revelou Angelo.