Acadêmicos de Direito do Centro Universitário São Francisco de Barreiras (UNIFASB), participam da II Competição de Arbitragem no Agronegócio (CAMAGRO), com a participação de instituições de ensino superior do Brasil. Ano passado o UNIFASB foi campeão e este ano estava entre os favoritos, entre as 14 equipes inscritas no evento. No primeiro dia das competições, quarta-feira (2), a equipe do UNIFASB enfrentou a da Universidade Federal da Bahia (UFBA) durante um simulado de tribunal arbitral, em uma disputa dinâmica que durou mais de três horas, recheada de argumentações e contra argumentações. Na sequência, os acadêmicos enfrentaram a Universidade Católica de Salvador (UCSAL), a Baiana de Direito e GEAME (UFRN).

A equipe vencedora na segunda edição do evento foi a GARBUSP. Para a coordenadora do curso de Direito, Cristiane Pacheco, que acompanhou todas as disputas, a experiência foi importante para os acadêmicos.  “Foi criada uma Liga Acadêmica (ARBUNIFASB) para capacitar e instruir os alunos. “Nossa equipe está se preparando para a próxima competição, aproveitando todas as lições e dinâmicas como um laboratório prático. Estamos engatinhando em competições e para aperfeiçoar é necessário competir muitas vezes”, destacou.

Os alunos contaram também suporte e orientações sobre como enfrentar as etapas, com os professores de Direito, Chandrélin de Paula Cantelle e Diego Rocha. Para o acadêmico Geovanno Maia “esse tipo de atividade, mostra o quanto o UNIFASB tem potencial para capacitar seus alunos, isso é uma experiência de grande valor, já estamos nos capacitando para situações reais do mercado de trabalho”, afirmou o acadêmico, bastante elogiado pelo tribunal na primeira audiência.

De acordo com o diretor da CAMAGRO, Paulo Oliveira, o objetivo do evento é fomentar este e outros formatos de competição em parceria com instituições de ensino. “Espero que os estudantes montem grupos de estudos sobre arbitragem e isso se torne uma tradição nos centros de ensino da nossa região”. Eles destaca ainda que a região Oeste é estratégica para sediar o evento, pelo potencial agrícola aqui existente e seu reconhecimento internacional.