Cursando o 8º semestre de Biomedicina na Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB), a acadêmica Patrícia de Souza da Silva dedica grande parte do seu tempo de estudo no desenvolvimento de pesquisas, sob a orientação dos professores Leandro Dobrachinski (FASB) e Jaime Amorim (UFOB). Há algum tempo busca aperfeiçoar os conhecimentos tentando uma vaga para participar de eventos pelo Brasil a fora. E neste ano, após enviar carta de inscrição, currículo lattes e histórico de rendimento escolar, foi aprovada para participar com outros 50 estudantes da área da saúde de instituições de ensino do Brasil, na VIII Oficina de Inverno de Bioquímica Toxicológica, realizada pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul.

Durante uma semana, de 23 a 27 de julho, participou de uma intensa programação, que contou com palestras no turno da manhã e aulas práticas de laboratório, à tarde. Ela conseguiu participar do evento gratuitamente, graças ao seu desempenho escolar e uma grande força de vontade. Esses quesitos renderam a acadêmica da FASB compartilhar conhecimento e aprendizado com pessoas de várias partes do Brasil e com palestrantes de outros países como o neurocientista do Albert Einsten College of Medicine, nos Estados Unidos, Michael Aschener.

Ela teve a oportunidade ainda de desenvolver experiências sobre um revolucionário método alternativo in vitro para detecção e quantificação de lesões de DNA, no laboratório de radiação ultravioleta e fotobiologia, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). O estudo foi comandado pelo professor André Passaglia Shcuch. “Foi uma experiência de muito conhecimento, principalmente nesse estágio que avalia os danos provocados ao DNA. Informações importantes que podem ser aplicadas na nossa região, considerando a grande incidência solar aqui existente”, diz Patrícia.

A oficina tem como objetivo maior propiciar aos alunos de graduação de diferentes instituições do país conhecimentos sobre as várias linhas de pesquisas realizadas pelo Programa de Pós Graduação em Bioquímica Toxicológica da UFSM, integrando módulos teóricos e práticos. E, neste ano, teve uma representante do oeste da Bahia integrando a equipe de estudiosos.