Desde maio deste ano 12 crianças e adolescentes da Ong PepVida (Parceiros da Educação Pela Vida), instalada na Vila Nova, em Barreiras, participaram de um curso sobre prevenção a acidentes da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB). E no último sábado (02), os alunos, que agora estão responsáveis pela prevenção de acidentes na Ong, receberam a certificação de Cipeiros durante a cerimônia de formatura. O treinamento foi uma iniciativa do curso de Enfermagem através do projeto de extensão, Ambiente, Segurança e Saúde do Trabalho na Escola , realizado pela Profa Marli de Abreu e os acadêmicos do curso.

Prestigiaram a formatura como homenageados, o pesquisador educacional da FASB, Dr. Pedro Bergamo, o diretor acadêmico Marden Lucena e o coordenador do Programa de Assessoria ao Docente (PAD), Vandré Vilela. Também presente, a professora do curso de Enfermagem e coordenadora do Projeto Cipeiros, Marli de Abreu. “Este foi um projeto piloto, uma experiência nova e a intenção é ampliar o projeto para outras escolas. Tenho certeza que esta comissão de Cipeiros passará a transmitir os aprendizados sobre prevenção de acidentes, na escola, em casa e em todos os ambientes”, destacou.

Destaque entre os meninos, Tiago Nunes de Souza, 11 anos, esperto e bem articulado falou sobre os aprendizados. “A gente tem que ser gentil, pensar no bem coletivo. Antes, quando um amigo caía no chão eu ria muito, a partir do curso, passei a ajudar. É assim, ser generoso, gentil é tudo que o que a gente aprendeu”, ressaltou o adolescente.

Esses aprendizados também foram reafirmados por Gisele Maria Reis dos Santos, de 11 anos. “Foi muito bom pra mim, e importante também, porque a gente descobriu o que é ser Cipeiro. Eu queria muito agradecer os professores. Eu falava com os meus pais que eu estava aprendendo muita coisa importante, ajudar o próximo e prevenir acidentes.

A coordenadora da Ong, Marcia de Fátima disse ter isso um orgulho para a instituição ser escolhida pela FASB para sediar o projeto. “Para mim foi muito importante, e com a parceria com a FASB, principalmente com a professora Marli, que trouxe essa proposta. Nosso projeto atende 47 crianças, com aulas de reforço, educação infantil e oficinas com aulas de reforço, além de educação ambiental e artes”, destacou.