A 4ª edição da exposição “Barreiras Sob o Enfoque Criminológico”, realizada por estudantes do 4º semestre do curso de Direito, ocorreu nesta quarta-feira (22), nos períodos matutino e noturno, na sede da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB). Os alunos, divididos em grupos, apresentaram os resultados das pesquisas de campo, sobre diversos aspectos da criminalidade no âmbito local.

A Criminologia, ciência interdisciplinar aplicada no curso de Direito, busca soluções para um dos problemas mais discutidos na atualidade: os crimes e seus efeitos na sociedade. A relevância do tema leva à promoção de pesquisas que acompanham anualmente a evolução do cenário. “Esse projeto tem a ideia de levar o aluno a campo, para que ele possa perceber como, de fato, a criminologia atua na realidade. Enquanto o Direito Penal pensa na punição, a Criminologia pensa na prevenção. Com isso, eles podem se preocupar com as zonas de risco e buscar políticas criminais preventivas”, pontuou Aderlan Messiais, professor da disciplina de Criminologia.

No período matutino os trabalhos apresentados abordaram as taxas de homicídio em Barreiras, a proposta do porte de armas para advogados, violência contra a mulher, aplicação dos impostos arrecadados no combate ao crime, violência de gênero, omissão de socorro médico, atuação das garotas de programa e os impactos da legalização da maconha como política de enfrentamento ao tráfico de drogas.

“A importância desse trabalho é muito grande, tanto na vida acadêmica, quanto para a sociedade de Barreiras. Será possível, a partir dele, aplicar os conhecimentos da criminologia na realidade vivida pelos cidadãos. É uma pesquisa prática e teórica, que pode servir para os órgãos destinados à prevenção e o combate ao crime”, opinou a estudante Beatriz Lima.

 “Os resultados serão encaminhados para instituições e pessoas que forneceram algum tipo de informação. Com o acesso amplo aos dados, eles poderão contribuir ainda mais para a adoção ou melhoramento de políticas públicas que venham para fazer o enfrentamento ao problema. O trabalho também será publicado em formato de livro, com os alunos na condição de autores”, concluiu Aderlan.